Content anchor

Três poloneses do Brasil com um prêmio literário


Culture.pl
As narrativas de Bruno Schulz traduzidas por Henryk Siewierski para o português  – "Ficção completa"

Henryk Siewierski, Tomasz Łychowski e o padre Zdzisław Malczewski foram premiados pela edição de 2016 do Prêmio Literário da Associação de Escritores Poloneses no Exterior com sede em Londres. A Dra. Aleksandra Ziółkowska-Boehm de Wilmington, EUA, noticiou este fato em nome do júri.

"O Prêmio Literário de 2016, pela popularização da cultura polonesa no mundo, foi atribuído a três escritores poloneses que vivem no Brasil: Henryk Siewierski, Tomasz Łychowski e padre Zdzisław Malczewski" – informou Aleksandra Ziółkowska-Boehm.

O professor Henryk Siewierski – escritor, poeta, professor acadêmico e editor  – graduou-se na Universidade Jaguelônica em Kraków. Nos anos 1981–1985, ministrou palestras sobre a língua e cultura polonesas na Universidade de Lisboa. Em 1985, assumiu o cargo de professor de literatura na Universidade de Brasília e de diretor da Editora UnB. Na mesma universidade, criou a Cátedra Cyprian Norwid, cujo alvo é a divulgação da literatura e cultura polonesas no Brasil através da publicação de ensaios sobre escritores e poetas poloneses.

O professor Henryk Siewierski escreveu cerca de cem artigos e ensaios literários, a maioria em língua portuguesa, publicados em revistas literárias e culturais no Brasil e em outros países. É autor de vários livros, entre eles: "Spotkanie narodów" (O encontro de nações, Paris 1984), "Jak dostałem Brazylię w prezencie" (Como recebi o Brasil de presente, Cróvia 1998), "História da literatura polonesa" (Brasília 2000), "Raj nie do utracenia. Amazońskie silva rerum" (Um paraíso não perdível. Silva rerum amazônico,  Cracóvia 2006), "Outra língua (poemas)" (Cotia–SP 2007), "Livro do rio máximo do Padre João Daniel" (São Paulo 2012), "Architektura słowa i inne szkice o Norwidzie" (A arquitetura da palavra e outros esboços sobre Norwid, Cracóvia 2012). Recentemente, publicou "Szkice brazylijskie" (Esboços brasileiros, Varsóvia 2016).

Durante os últimos 150 anos, alguns representantes da imigração polonesa no Brasil ganharam o... Read more about: Presença polonesa na cultura brasileira

O júri, em sua nota, sublinhou os talentos de Siewierski na tradução que consegue passar as obras de escritores e poetas poloneses para o português de forma excelente. Ele traduziu obras como o "Sanatório" e "Lojas de canela" de Bruno Schulz (Rio de Janeiro 1994, 1996), as narrativas de Andrzej Szczypiorski, bem como "Senhorita Ninguém" de Tomasz Tryzna, "Os filhos de Caim" de Bronisław Geremek e os poemas de Cyprian Norwid, Tadeusz Różewicz, Czesław Miłosz, Zbigniew Herbert e Wisława Szymborska. Ele traduziu também, para o polonês, os poemas de Fernando Pessoa.

Tomasz Łychowski – poeta, tradutor, professor acadêmico, pintor. Ele nasceu em Angola, na África Portuguesa, na então cidade de Nova Lisboa. Em 1938, mudou-se com os pais para a Polônia. Quando eclodiu a guerra, ambos os pais começaram a participar da conspiração contra os alemães. Em agosto de 1942, a Gestapo (polícia secreta alemã – N. do T.) prendeu cerca de 200 membros do AK (exército clandestino polonês – N. do T.) na prisão de Pawiak, incluindo Tadeusz e Gertruda Łychowski com Tomasz aos 8 anos de idade. Atualmente, Tomasz Łychowski é provavelmente o mais jovem dos ex-presos de Pawiak. Seu pai, Tadeusz Łychowski, foi levado para Auschwitz. Em 1949, Tomasz foi para o Brasil com os pais. Se graduou em inglês por uma subsidiária da britânica Cambridge e na PUC no Rio de Janeiro.

Ele trabalhou no ensino superior, elaborou programas de docência e ministrou palestras. Colaborou com a revista "Aproximações", publicada no Brasil pelo professor Henryk Siewierski. Escreveu também para revistas da comunidade polonesa, tais como "Lud" (O Povo) em Curitiba e "Głos Polski" (A Voz Polonesa) em Buenos Aires, Argentina.

Poesia e pintura são duas grandes paixões de Łychowski. Ele pinta principalmente paisagens. Publicou coletâneas de poemas em português, inglês e polonês, entre elas: "Glimpses/Vislumbres" (inglês-português 1996), "Voices/Vozes" (inglês-português 1998), "Brisas/Powiewy" (português-polonês 2000), "Graniczne progi/Limiares de fronteira/Thresholds" (polonês-português-inglês 2004), "Encontros/Spotkania" (português-polonês 2006), "Skrzydła" (Asas, 2008) e a mais recente – "Recomeço" (2014). "Moja droga na księżyc" (Meu caminho para a Lua), um volume de narrativas autobiográficas, foi publicado em 2010 em Varsóvia.

Łychowski é tradutor de poemas de Julia Hartwig, Ryszard Krynicki e Ewa Lipska para a revista da Academia Brasileira de Letras. Traduziu poemas seletos de Karol Wojtyła (papa João Paulo II) para a revista "Polonicus".

Padre Dr. Zdzisław Malczewski nasceu em Nowe Brzesko, perto de Kraków. Em 1969, ingressou na Sociedade de Cristo para a Comunidade Polonesa no Exterior. Depois de se formar em filosofia e teologia pelo Seminário Maior da Sociedade de Cristo em Poznań, recebeu a ordenação sacerdotal em 11 de maio de 1976. Obteve mestrado de teologia na Universidade Católica de Lublin e doutorado em ciências humanas na Universidade Adam Mickiewicz em Poznań.

Em 1979, foi ao o Brasil para cumprir a missão de sua congregação. Foi enviado para a paróquia de Sant´Ana em Carlos Gomes, no estado do Rio Grande do Sul. Foi pároco da paróquia Ijuí no Rio Grande do Sul, superior provincial da Sociedade de Cristo na América do Sul e pároco em Curitiba.

Padre Dr. Zdzisław Malczewski é um participante da vida da comunidade polonesa na América Latina. Colaborou também nas obras da União de Sociedades e Organizações Polonesas na América Latina. Em junho de 2009, assumiu a função de reitor da Missão Católica Polonesa no Brasil. Como reitor, deu início, em julho de 2009, a publicação do boletim "Echo Polskiej Misji Katolickiej w Brazylii" (Eco da Missão Católica Polonesa no Brasil), que é publicado de dois em dois meses e é a única publicação periódica em polonês lá.

Nos anos 1999–2009, foi editor-chefe da revista de estudos polono-brasileiros "Projeções", publicado em português em Curitiba, bem como o iniciador e fundador do semianuário "Polonicus" que constitui uma espécie de ponte entre a cultura polonesa e a brasileira. A revista é enviada a escolas brasileiras de ensino superior e a vários centros de cultura.

Padre Malczewski é um correspondente da Rádio Vaticana, bem como autor dos livros: "Obecność Polaków i Polonii w Rio de Janeiro" (A presença de poloneses e da comunidade polonesa no Rio de Janeiro,  Lublin 1995), "Słownik biograficzny Polonii brazylijskiej" (Dicionário biográfico da comunidade polonesa no Brasil, Varsóvia 2000), "Polonii brazylijskiej obraz własny. Zapiski emigranta 1979–2006" (Imagem própria da comunidade polonesa no Brasil. Anotações de um emigrante 1979-2006,  Curitiba 2007).

A atribuição do Prêmio Literário da Associação de Escritores Poloneses no Exterior foi realizada pelo júri composto por: Andrzej Krzeczunowicz, presidente da Associação; profa. Beata Dorosz, Instituto de Pesquisas Literárias da Academia Polonesa de Ciência; pe. prof. Janusz Ihnatowicz, Houston, EUA; pe. prof. Bonifacy Miązek, Viena; dra. Nina Taylor-Terlecka, Oxford; dra. Aleksandra Ziółkowska-Boehm, Wilmington, EUA.

A entrega solene dos prêmios e um encontro com os galardoados serão realizados em Londres na primavera de 2017.

Visite o site Culture.pl/brasil para obter informações sobre os mais interessantes eventos da cultura polonesa que ocorrem no Brasil, e ter acesso a uma grande quantidade de biografias, resenhas e artigos.

Fonte: PAP, elaboração: jrk, tradução: Marek Cichy

Kategoria: 
Literatura